Siga nossas redes sociais!

Cinema

A Luz do Diabo | Análise

Avatar photo

Publicado

a

 

 

Talvez, o Diabo seja uma escolha melhor.

Os filmes de possessão existem numa paisagem cultural estranha. Por um lado, a cultura ocidental cresceu no coração do cristianismo, então faz sentido que continuemos a explorar os demônios como fonte de terror. A ideia do inferno está tão gravada nas nossas mentes que mesmo as pessoas que não se identificam como cristãs podem sentir medo ao ver um padre devotado a realizar um exorcismo no ecrã. No entanto, os filmes focados em possessão demoníaca muitas vezes parecem publicidade, como se o terror fosse um veículo para espalhar a palavra de que devemos ter fé na religião. Na maioria das vezes, podemos ignorar a mensagem se quisermos e apenas aproveitar um filme de terror. A Luz Do Diabo, no entanto, parece ter sido desenvolvido como uma propaganda deliberada.

 

A Luz Do Diabo passa-se numa escola de exorcismo em Boston, financiada pela Igreja Católica. Lá os jovens padres aprendem a salvar almas e a combater demônios, um conhecimento que podem praticar com frequência com os pacientes, que a Igreja mantém no porão da instituição. Isso, porque todas as pessoas que supostamente sofrem de possessão demoníaca são isoladas e acompanhadas de perto por uma equipa médica, com padres prontos para agir quando a ciência não for mais eficaz no tratamento de doenças. É um conceito emocionante, ou poderia ser se A Luz Do Diabo não se levasse tão a sério. Por exemplo, a primeira cena do filme tenta vender a sua ideia maluca como algo baseado no mundo real. E isso inclui uma parede de texto logo no início explicando o estado terrível de um mundo onde a possessão demoníaca se tornou uma epidemia, e a Santa Igreja deve agir pelo bem da humanidade.

 

Segundo a tradição, apenas sacerdotes homens podem aprender a realizar um exorcismo, então as salas de aula são ocupadas principalmente por homens. Em seguida, vem a protagonista do filme, Irmã Ann (Jacqueline Byers), uma freira rebelde determinada a desafiar uma estrutura conservadora e a aprender a realizar exorcismos a ela mesma. Na superfície, A Luz Do Diabo é uma história sobre o empoderamento das mulheres dentro de uma estrutura patriarcal. No entanto, isto não passa de uma fachada, pois o filme realmente reforça como os ensinamentos milenares da Igreja são a ferramenta mais eficaz para vencer o mal.

 

A Luz Do Diabo tenta seguir as diretrizes aprovadas por relações públicas para mostrar como a religião se adaptou aos tempos modernos. É por isso que a irmã Ann e outras pessoas religiosas são frequentemente vistas com roupas casuais. As personagens principais também têm um passado de festas e sair com as pessoas erradas para mostrar que são tão pecadores quanto todos os outros. Finalmente, as três personagens principais de A Luz Do Diabo são uma mulher, um homem latino (Christian Navarro) e um homem negro (Colin Salmon), como se o filme estivesse a tentar completar uma lista de verificação do politicamente correto. Afinal, se a Igreja é tão diversa e tão receptiva às diferenças, isto significaria que essa poderosa instituição evoluiu além de seus erros históricos. Tudo bem se A Luz Do Diabo não se referisse constantemente ao referido passado, revelando a hipocrisia de sua mensagem.

 

Acima de tudo, em vez de ignorar a história genocida da Santa Igreja, A Luz Do Diabo transforma a Inquisição num ponto da história. No entanto, em vez de reconhecer os verdadeiros horrores de torturar e matar pessoas em nome de Deus como algo vergonhoso, o filme quer vender a ideia de que era um mal necessário. Não é por acaso que um instrumento usado para execuções há muitos séculos torna-se a principal arma para derrotar Prey para o antagonista do Diabo. Isso por si só seria suficiente para levantar algumas sobrancelhas, mas A Luz Do Diabo está cheio de mensagens morais distorcidas.

 

Por exemplo, quando a irmã Ann tenta quebrar o padrão e ignorar a cartilha do exorcismo, ela prejudica bastante a pessoa que está a tentar salvar, provando que a tradição é melhor que a inovação. Pior ainda é que A Luz Do Diabo faz uma comparação desconfortável entre possessão demoníaca e problemas de saúde mental, sugerindo que o último é uma prova do mal interior. Há também o caso de uma mulher consumida pelo trauma de ter abortado uma criança após ser ter sido violada. A escolha de se livrar do feto é o que ameaça a sua integridade, não a violência indescritível que ela sofreu. E quando o filme expõe a sua premissa de que as pessoas que carregam vergonha e culpa convidam demônios de propósito, porque querem ser punidas.

 

Não há nada particularmente errado com A Luz Do Diabo do lado técnico. Todo o elenco faz o que pode para manter o filme unido, principalmente com Byers e Salmon a serem brilhantes. A equipa de efeitos especiais também se divertiu com algumas boas criaturas que homenageiam os filmes clássicos de exorcismo. Então, embora A Luz Do Diabo não faça nada de novo com o gênero e apenas copie os mesmos sustos que já vimos dezenas de vezes anteriormente, pode oferecer o suficiente para agradar os fãs de terror que realmente gostam do tema. Isto é, se eles conseguirem superar todos os momentos de publicidade que arrastam o filme para baixo.

 

Na superfície, A Luz Do Diabo tenta atrair o público moderno ao apresentar uma protagonista feminina e um elenco diversificado. E, embora estas sejam geralmente vitórias para serem comemoradas, aqui elas são, na verdade, uma distração. Isso porque, a cada momento, A Luz Do Diabo transmite que a batalha contra o mal justifica qualquer meio. Mesmo em períodos mais sombrios da história, como a Inquisição, foram dignos de manter as almas dos fiéis em segurança. Não é surpresa que a linguagem religiosa usada em A Luz Do Diabo seja particularmente bélica, com sacerdotes a receber armas para combater um inimigo imbatível. E as guerras têm sempre baixas, incluindo os direitos de uma mulher sobre o seu corpo e os pacientes de saúde mental acusados ​​de estarem possuídos. Mas, o que importa é que preservemos a tradição e não mudemos muito as coisas, para que o diabo não vença.

 

A Luz Do Diabo já está disponível nos cinemas. Confere o trailer do filme aqui:

 

 

 

 

 

 

 

 

 

LÊ TAMBÉM

“A LUZ DO DIABO” – O QUE SABEMOS ATÉ AGORA

 

Os especialistas do Conteúdo da Cultura Pop.

Mais artigos