Connect with us

Cinema

Tom Cruise faz parar Cannes

Avatar photo

Published

on

A estrela foi o foco do segundo dia do Festival e ripostou quando questionado sobre cenas perigosas.

Segundo dia do 75º Festival de Cannes – mas também se pode chamar-lhe Tom Cruise Day. O festival e a cidade mostraram que adoram a estrela. E ele apareceu como de costume: fez questão de parar, tirar selos, assinar autógrafos, e até falar durante vários segundos com os fãs que se amontoavam na entrada do tapete vermelho do Grand Théâtre Lumière, onde Top Gun: Maverick foi mostrado, fora da competição. Sempre com o mesmo sorriso no seu rosto e dizendo “obrigado” a cada minuto.

Pouco tempo depois, o actor de 59 anos de idade desceu o longo tapete vermelho ao lado do produtor Jerry Bruckheimer e da maior parte do elenco. Aqui e ali ele parou para conversar com os seus colegas, riu-se e provocou também gargalhadas. Jon Hamm foi engraçado, arranjando o laço de cruzeiro e provocando um protesto humorístico.

A estrela está habituada aos tapetes vermelhos, mas a do Festival de Cannes, em forma de escada, para a banda sonora do filme, é especial. E, como o apresentador do canal que transmite o tapete vermelho continuava a repetir, este era especialmente “espantoso”, com até aviões de combate a voar pelo Palais des Festivals, cuspindo fumo com a bandeira vermelha, azul, e branca da bandeira americana (e francesa). Mas havia mais: no seu interior, recebeu uma Palma de Ouro honorária que não tinha sido anunciada e que aparentemente o apanhou de surpresa.

Após a projeção, o filme recebeu mais de seis minutos de aplausos, e Cruise saiu na Croisette para conhecer os fãs – em vez de sair pelos fundos, como tantas celebridades costumam fazer.

Por outras palavras, Cannes recebeu com toda a magnificência e circunstância a maior estrela do mundo, que só tinha vindo ao festival uma vez antes, há 30 anos, com A Distant Dream, de Ron Howard, juntamente com a sua então esposa Nicole Kidman. O festival, recuperando de um ano de cancelamento e outro ano de uma versão reduzida por causa da pandemia, precisava de uma estrela deste tamanho.

E uma estrela, além disso, que apoia incondicionalmente o cinema e atrasou o lançamento de Top Gun: Maverick por dois anos, devido à pandemia. “Não tinha qualquer hipótese de acontecer”, disse ele algumas horas antes da exibição de gala, quando lhe perguntaram se tentaram pressioná-lo a lançar o filme em streaming, como foi o caso de tantos outros. Ele foi aplaudido pelo público muito jovem na Sala Debussy, onde o “Rendez-vous avec Tom Cruise” uma reunião com o ator. “Há uma forma específica de fazer filmes para o cinema, e eu faço filmes para o cinema”, disse ele. Cruise revelou que ainda vê filmes em salas de cinema, escondidos por um boné.

A conversa de 47 minutos com a presença do público, sim, é algo mais raro para Cruise, que normalmente só dá entrevistas no tapete vermelho, com raras exceções. No próprio festival, não houve uma conferência de imprensa tradicional para o Top Gun: Maverick.

 

Cruise falou muito sobre a sua infância – como queria fazer filmes desde os 4 anos de idade e trabalhou desde cedo para ajudar a sua família e ter dinheiro para ir ao cinema. Contou também como o seu segundo trabalho, The Bugle of Revolt (1981), foi fundamental na sua formação. “Fui a todos os departamentos e estudei, porque mesmo que não fizesse mais filmes na minha vida, queria compreender o que era”, disse ele. Deu um conselho a jovens atores: “Estude tudo o que tem a ver com a forma de arte em que trabalha para compreender como se cria uma história, como o cabelo, a maquilhagem, os fatos, as direções de arte são importantes”.

Nos seus filmes, ele tenta explorar os limites, mesmo nas cenas loucas de ação, o que normalmente faz sem um duplo. Ninguém perguntou a Gene Kelly (o ator em Singin’ in the Rain, entre outros), “Porque é que dança? “Agora aquele miúdo que se sentou no ramo da árvore mais alta a balançar ao vento porque gostava da sensação está agora num cenário de cinema, fazendo coisas que aprendeu a fazer parte da história e da personagem”.

 

 

 

LÊ TAMBÉM

“Top Gun” apresenta um novo olhar sobre o filho de Goose Bradly rooster Bradshaw


 

Os especialistas do Conteúdo da Cultura Pop.