Siga nossas redes sociais!

Destaques

“Coyote é uma odisseia” – Entrevista com Michael Chiklis

Avatar photo

Publicado

a

coyote

Tivemos o prazer de falar com Michael Chiklis a propósito do seu mais recente projeto, “Coyote”, cuja transmissão em Portugal está a cargo da AXN. Longe do “mal disposto” Vic Mackey em “The Shield”, neste encontro virtual foi a simpatia que lhe reconhecemos.

coyote


“Coyote é uma odisseia.” É assim que Michael descreve esta nova produção. Trata-se de uma “história sobre as pessoas, os locais, os eventos e coloca-nos na pele de outras pessoas. É mais que uma série de ação sobre narcotraficantes, mais do que uma história sobre o meu personagem”, acrescenta.

“Eu e a Michelle MacLaren conhecemo-nos há 25 anos, ela é incrível e realizou episódios de Breaking Bad, Walking Dead e Game of Thrones.” A relação de amizade fez com que Michael dissesse logo que sim ao projeto, apesar de “estar um pouco receoso” com a componente política da série. “Entusiasmou-me o facto de ser uma série bastante atual ao estado do mundo”, afirmou. Apesar dos tempos conturbados a nível político, o ator não queria que a série fosse controversa, mas logo percebeu que não era essa a intenção dos produtores: “Sabia que ia ser real e autêntica”.

As comparações com Breaking Bad não se ficaram por aqui. Referimos que o episódio favorito da curta temporada (estava programado serem 10 episódios, mas a pandemia interferiu com os planos e só seis foram realizados) foi o penúltimo. O estilo intimista, com apenas três personagens numa caravana, em muito fez lembrar os episódios introspetivos de Breaking Bad, que Michelle MacLaren conhece tão bem. Afinal de contas ela realizou mais episódios da série que qualquer outra pessoa. “Em termos de estilo narrativo é muito semelhante a Breaking Bad e The Shield, mas muito diferente em termos de conteúdo.”, disse-nos o ator. Arriscamos perguntar se, à semelhança de Walter White, poderíamos ver um protagonista a deixar de ser um Coyote e a tornar-se um possível “El Migra”. Com a habitual boa disposição, Michael disse que tínhamos de esperar para ver: “honestamente, não vou dizer! Porque haveria de vos dizer isso?!”

A série conta com jovem talento, para o qual se prevê um futuro de sucesso, com nomes como Octavio Pisano, George Pullar e Emy Mena. Atores que o veterano já elogiou várias vezes e inclusive acrescenta: “A série vai expandir, Ben é apenas um condutor narrativo.” O protagonista acredita que mesmo que a história pareça simples, há muito para explorar e pode estender-se por várias temporadas: “estamos a fazer perguntas sobre uma grande temática, de conflito entre culturas (…) os políticos podem mudar, mas há sempre pessoas nestes locais e histórias para contar.”

O ator de 57 anos fala sobre o futuro com alguma incerteza. A CBS Access uniu-se à Viacom, sendo agora Paramount+, pelo que há muita gestão doméstica para realizar. “Ainda não sabemos se vamos ter uma segunda temporada”, começa por dizer, no entanto, há planos ambiciosos para o futuro: “temos uma equipa de argumentistas da América Central e do Sul, e se pudermos prosseguir, há imenso para explorar.”

“Coyote” está a ser transmitido no AXN, a quem agradecemos a possibilidade de entrevistar o Michael.

Se tal como nós ficaram com vontade de saber mais sobre Michael Chiklis, deixamos aqui mais algumas curiosidades sobre o ator:

– É conhecido pelo seu “penteado” inconfundível, ou seja, ausência dele. A ironia é que o seu pai era cabeleireiro…

– A sua simpatia é contagiante. Essa maneira de estar na vida a muito deve à avó, que lhe disse inclusive em criança que “ser feliz é um ato de coragem”.

– Durante as gravações da série, Michael lesionou-se com gravidade no joelho. O coxear que vemos do protagonista é, por isso, bem real. No final das filmagens foi operado.

– Durante a pandemia, o ator viu e ficou fã de “Queens Gambit”, “Schitts Creek” e “The Great British Bake Off”.

– Em criança, enquanto estava de férias com a família, Michael testemunhou um acidente que envolveu a colisão de um carro com uma vaca. O acontecimento marcou o jovem Michael, já que passou muito tempo no trânsito e a imagem da família a ser desencarcerada do carro ficou-lhe gravada. Mais de 40 anos volvidos, em conversa de circunstância, Michael descobre que a esposa (de há 30 anos) esteve naquele acidente. Era o sogro que conduzia o carro que colidiu com a pobre vaca… – Clique aqui.

Publicado por: Vítor Rodrigues
Um dinossauro no mundo das séries. Coleciona Blu-Rays, adora Legos, completa jogos a 100%, devora podcasts e ama tudo que envolva não sair de casa.


Conhece a loja oficial da cultura pop

Um dinossauro no mundo das séries. Coleciona Blu-Rays, adora Legos, completa jogos a 100%, devora podcasts e ama tudo que envolva não sair de casa.