Connect with us

BD & Literatura

We Are Legends – Os Novos Protagonistas da DC

Avatar photo

Published

on

We Are Legends

Após o lançamento popular de Monkey Prince no “DC Festival of Heroes” #1 em 2021, uma antologia a celebrar personagens de origem asiática, a DC volta a apostar em novas personagens asiáticas em “We Are Legends”, uma edição especial do evento “Dawn of DC” de 2023.

Monkey Prince é uma personagem de origem chinesa, criado em Gotham sob o nome Marcus Sun (legalmente Marcus Shugel-Shen) que recentemente ganhou a sua própria série e abriu portas para novos heróis terem as suas séries também.

Após o evento “Lazarus Planet”, no qual uma chuva mundial de resina Lazarus caiu sobre o planeta, novos vilões e heróis surgiram criados ou influenciados pela chuva, como por exemplo, o novo herói Circuit Breaker (Jules Jourdain). Mas para celebrar o mês da herança Ásio-Americana e das Ilhas do Pacífico, a DC apostou em heróis Asiáticos novinhos em folha com imenso potencial.

Em “We Are Legends” estes heróis recebem as suas próprias histórias, nomeadamente:

  • “The Envoy – A Spirit World Story” (“O Enviado – Uma História Spirit World”), escrito por Alyssa Wong, e ilustrado por Haining. É um derivado da nova série “Spirit World”, protagonizada por Xanthe Zhou.
  • “The Vigil – See No Evil” (“A Vigia – Mal Que Não Se Vê”), escrito por Ram V, e ilustrado por Lalit Kumar Sharma. É o início da série “The Vigil”, protagonizado pela equipa com o mesmo nome.
  • “City Boy” (“Rapaz Citadino”), escrito por Greg Pak, e ilustrado por Minkyu Jung. É o início da série “City Boy”, protagonizada por Cameron Kim.

Em “The Envoy” começa a aventura de Xanthe Zhou, uma personagem não-binária que vive entre o mundo dos vivos e o mundo dos espíritos. Neste conto, Xanthe tem de trabalhar lado a lado com Batgirl (Cassandra Cain) e John Constantine para exorcizar zombies e espíritos malévolos.

Baseada em cultura chinesa, Xanthe é uma personagem incrível, misteriosa e interessante, com um design que mistura o moderno e o tradicional, e com poderes arcaicos, mas muito originais.

Em “See No Evil”, acompanhamos Red Hood numa missão onde conhecemos The Vigil, uma equipa clandestina de vigilantes com poderes meta-humanos, cujo objetivo é lutar contra tecnologia e armamento ilegal. Por enquanto pouco se sabe sobre esta misteriosa equipa composta por Arclight, Castle, Dodge, e Saya.

Em “City Boy” conhecemos o titular City Boy (Cameron Kim), um jovem ladrão de origem Coreana com o poder de comunicar e interagir com estruturas urbanas que usa para encontrar tesouros escondidos, poderes estes que aumentam com a resina Lazarus. No entanto este ladrão tem coração e parece ter caído no radar de Nightwing.
Cameron tem um design muito discreto, moderno e urbano, mas os seus poderes são algo nunca visto antes em banda desenhada e a sua personalidade malandra cria um potencial para enredos únicos.

Para além das origens diversas das personagens, dos designs incríveis, enredos fascinantes e arte fenomenal, existe outro factor interessante nesta mini antologia e as séries ligadas à mesma – todas estas histórias são criadas e desenvolvidas por escritores e artistas com origens asiáticas, nomeadamente dos países ligados às personagens de que escrevem.

É uma excelente carta de amor às culturas destas novas personagens e uma bela e diversa celebração cultural que pode e deve ser apreciada por todos os fãs da DC.

Super geek de longa data com grande amor por super-heróis e animação. Cosplayer, devoradora de comics, e amante de cinema e séries. Escritora de longa data, desde artigos publicados a fanfictions populares em várias comunidades, também dá workshops de escrita criativa em eventos nerd.

Continue Reading

Mais artigos