Connect with us

Cinema

The Boogeyman: Tensão, suspense e o bicho-papão!

Avatar photo

Published

on

The Boogeyman

Conhecido por “Dashcam” e “Dawn of the Deaf”, Rob Savage entrega-nos mais um filme de terror desta vez baseado na famosa creepypasta do “Bicho-Papão”.

“The Boogeyman” é um filme baseado na obra com o mesmo nome de Stephen King. A história ronda em torno de um psicólogo chamado de “Will Harper” (Chris Messina) e das suas filhas, Sadie e Sawyer Harper (Sophie Tatcher e Viven Lyra Blair respetivamente), que estão a ultrapassar a morte da esposa/mãe. Inesperadamente, um paciente chamado “Lester Billings” aparece no seu consultório e fala-lhe que os seus filhos poderão ter sido mortos por algo… sobrenatural.

O filme apresenta-nos um tom muito reconhecido nos filmes clássicos. Não pretende ser grandioso, adota o realismo e movimentos de câmera bastante conhecidos neste tipo de filmes. No entanto, existe um problema neste filme que é a sua consistência enquanto decisões de tons ao longo do filme.

No início, como afirmei, podemos observar um tom realista (apesar das aparições do monstro) com elementos do cotidiano, uma visão mais real de como seria enfrentar um problema destes e até o som não era muito ousada. No entanto, o problema encontra-se quando o filme aceita mostrar o monstro por completo, o que altera completamente o rumo do filme. Tentam introduzir (apesar de incorretamente) o contexto do monstro, o que o leva a perseguir aquelas vítimas e como poderão derrotar. Tudo isto na última meia hora. É algo que não é progressivamente contado e sim atirado para o filme.

As atuações não fogem do que é a base de um ator, apesar da relação da família protagonista em momentos de desconforto e tristeza transmitir os sentimentos certos.

A banda sonora é simples, inteligente e é usada em bons momentos. Este é um grande fator do filme pois a sua utilização é bem desenvolvida e combinada muito bem com os sustos, que por sinal, são bastantes. O suspense deste filme está muito bem feito, e confesso que precisei de me agarrar à cadeira porque nunca sabia quando poderia ser assutado.

No geral, The Boogeyman é uma boa obra cinematográfica, bom terror, apesar de tremer em alguns aspetos com certeza resulta no que é suposto.

Um jovem rapaz que adora o mundo do Cinema e da Televisão. É técnico de som e por isso o seu amor reside nas bandas sonoras. A sua inspiração é o Hans Zimmer e o John Williams. Adora ficção científica e super-heróis, mas não descarta as outras áreas.