Connect with us

Cinema

Super Mario Bros – Let’s a Go!

Avatar photo

Published

on

Super Mario Bros

O Super Mario volta a saltar das consolas da Nintendo para o grande ecrã. Após as tentativas de adaptação com o filme de animação de 1986 “Super Mario Bros.: The Great Mission to Rescue Princess Peach!” e do live-action de 1993 “Super Mario Bros.”, parece que finalmente temos uma que poderá ser o começo de um franchise, muito ao estilo da outra aposta da Nintendo, “Detective Pikachu”.

De Brooklyn ao Mushroom Kingdom (Reino dos Cogumelos)

Algures no universo, Bowser (Jack Black/Pedro Dargado) continua na sua demanda para encontrar a Super Star e, quando o consegue, nada parece estar a salvo. Enquanto isso, em Brooklyn, Mario (Chris Pratt/Luís Barros) e Luigi (Charlie Day/Eduardo Frazão), os irmãos canalizadores, lutam por um lugar de fama dentro da arte laboral. Na tentativa de impressionarem, acabam por encontrar um Warp Pipe e são levados por caminhos diferentes: Mario acaba no Mushroom Kingdom e Luigi nas Darklands (Terras Obscuras). Mario encontra um Toad (Keegan-Michael Key/Alexandre Carvalho) que o leva até à Princesa Peach (Anya Taylor-Joy/Laura Dutra) e juntamente com Donkey Kong (Seth Rogen/José Nobre), vão fazer de tudo para salvar Luigi e o Mushroom Kingdom.

Super Mario Bros

Bowser (com muita paixão) vs Mario (com pouca paixão por cogumelos)

É difícil resistir aos movimentos de polegares que vem só de se ouvir os efeitos especiais e banda sonora dos jogos que tão bem conhecemos. Esta experiência para lá da consola levou-nos de viagem a (quase) todos os mundos do Super Mario, da GameBoy à Nintendo Switch. Contudo, a base de história que os jogos nos deram é apenas uma mera inspiração para esta história. Na verdade, após muita especulação, até faz sentido que o Mario não tenha uma voz ou sotaque assim tão à italiano.

Este filme consegue então trazer um novo Super Mario às nossas mentes. Se temos um Mario que precisa de salvar a Princesa Peach do terrível Bowser? Temos, mas… a princesa talvez não seja assim tão indefesa. Um bando de Koopas, Dry Bones, Piranha Plants e Yoshis? Sim! O Bowser é um terrível vilão? É, mas um vilão apaixonado que faz serenatas apaixonadas ao piano e encena pedidos de casamento com o seu conselheiro, Kamek (Kevin Michael Richardson/Rui Oliveira), vestido de Peach! MUITA PAIXÃO!

Super Mario Bros

Banda Sonora

Desengane-se quem pensa que só temos sons, efeitos especiais e música dos jogos. No decorrer do filme ouvimos grandes hits como “Holding Out for a Hero” de Bonnie Tyler, “Take On Me” dos A-ha e “Thunderstruck” dos AC/DC, que fazem com que as sequências de ação ganhem toda uma nova avalanche de emoção e adrenalina.

Possíveis Sequelas e/ou Projetos

Uma das falhas deste filme é sem dúvida a duração. 92 minutos não parecem ser suficientes para contar a história com todos os detalhes que queríamos ver esmiuçados. Mas será que isso é um truque para o que poderá vir por aí? Já se fala de um spin-off com a história de Donkey Kong e, é claro, que isso poderá ser apenas uma das histórias deste franchise a ser explorada.

Para além de DK, acho que podemos perfeitamente estar de olho num filme de origem da Princesa Peach que, como foi referido no filme, aparece no Mushroom Kingdom através de um Wrap Pipe, tal e qual Mario, quando ainda era bebé. Terá alguém à sua procura?

Também Luigi poderá ter um projeto só dele. Ao que parece muitos fãs começam a pedir uma adaptação do jogo “Luigi’s Mansion”. Numa cena foi possível ver o local deste enredo. E, na cena pós-créditos, é-nos apresentado um ovo verde e branco nos esgotos de Brooklyn, que quebra enquanto se ouve um “woo-hoo”, dando a entender que Yoshi está a caminho!

Super Mario Bros

Público-alvo

Sendo Super Mario Bros um filme de animação, é normal que se pense que as crianças são o público-alvo perfeito, o que carrega apenas um pouco de verdade. Este é um filme para miúdos e graúdos, para os fãs do Mario, do Luigi, da Nintendo, para quem quer passar um bom tempo na sala de cinema a ver a aposta dos estúdios Illumination e Universal Pictures.

No final, tirando uma ânsia por mais, a boa disposição é mais do que notória e podemos contar com uma cena a mid-créditos e outra pós-créditos que vos podem fazer largar um Mamma Mia!

Podes ler mais sobre o legado de Super Mario aqui!