Connect with us

Cinema

Entrevista Exclusiva a Daisy Ridley de “Chaos Walking”

Avatar photo

Published

on

chaos walking

Dia 10 de junho, prepara-te para a estreia do tão aguardado filme da PRIS Audiovisuais “Chaos Walking”, uma fábula apocalíptica que imagina um novo mundo sem mulheres. Rui Tendinha, host da Comic Con Portugal e EPOPCULTURE News, esteve à conversa com a protagonista do filme Daisy Ridley (que interpreta Rey na nova trilogia de Star Wars). Descobre todos os fun facts que a atriz nos revelou!

De acordo com o autor e coargumentista Patrick Ness, o arquiteto deste mundo incrível e supersticioso por meio da sua aclamada trilogia de livros, “O Ruído” é tudo o que tu pensas, fantasias, desejas e acreditas. É a mente humana, completamente sem filtro.

Realizado por Doug Liman, Identidade Desconhecida e No limite do Amanhã, o filme é baseado no admirado best-seller The Knife of Never Letting Go, de Patrick Ness. Daisy Ridley e Tom Holland protagonizam esta aventura, juntamente com Mads Mikkelsen, David Oyelowo, Nick Jonas, Demián Bichir, Kurt Sutter e Cynthia Erivo.

Sinopse:

– O Ruído são os pensamentos de um homem sem filtro e, sem um filtro, um homem é apenas um …Chaos Walking.

Num futuro não muito distante, Todd Hewitt (Tom Holland) encontra Viola (Daisy Ridley), uma jovem misteriosa que cai no seu planeta, onde todas as mulheres desapareceram e os homens são atacados pelo O Ruído – uma força que expõe todos os seus pensamentos. Neste perigoso ambiente, a vida de Viola está ameaçada, e como Todd jura protegê-la, ele deve descobrir o seu próprio poder interior e desvendar os segredos sombrios do planeta.

NINGUÉM ESCAPA DO RUÍDO

Uma experiência global cinematográfica, para todos os públicos, CHAOS WALKING – O RUÍDO é repleto de ação, emoção, suspense e mistério.

E se os teus pensamentos mais íntimos fossem sempre expostos?

No ano de 2257 DC, num planeta distante conhecido como O Novo Mundo, os colonos do sexo masculino são bombardeados, diariamente, a cada segundo, com os pensamentos uns dos outros, na forma de uma cacofonia implacável de sons, chamada de O Ruído. Isso deixava os homens doidos porque as mulheres também podiam ouvir e ver os seus pensamentos, enquanto os das mulheres permaneciam ocultos. Depois que as mulheres foram mortas, supostamente pelas espécies indígenas do planeta, os homens permanecem assombrados, se não torturados, pela barragem interminável dos seus pensamentos ganhando vida.

 

Os especialistas do Conteúdo da Cultura Pop.